NATHÁLIA ABI-ACKEL
Boring way of life? Se depender da Nathália Abi-Ackel, nunca. Apaixonada por maxi bijouxs desde a infância, a designer e owner da Abi-Project aprendeu com a mãe e a avó o poder dos colares enormes, gargantilhas e headpieces. “Tenho uma família de mulheres muito fortes e sempre acompanhava elas se arrumando. Lembro das gargantilhas da minha mãe e dos colares da minha avó, que sempre eram maxi. Nenhuma delas era discreta e isso formou a minha estética de more is more”, conta.

Com um estilo único que não se encaixa em nenhuma tag, Nathy se veste de acordo com a ocasião e o mood do dia. Seu closet é repleto de roupas excêntricas, estampadas, divertidas e com um arzinho vintage. “Minha mãe sempre me over dress, então hoje em dia eu adoro me montar! Gosto de misturar coisas clássicas com uma pitada de bad taste”. Mas sua marca registrada são os acessórios – esses ela não dispensa nunca.

Ingressou no mundo da moda cedo, aos 15 anos, depois de brincar de fazer colares e pulseiras e lançar sua primeira coleção. “Mas ficou como brincadeira mesmo”. Antes de ter certeza sobre o que queria fazer, resolveu experimentar de tudo um pouco: bacharelado em direito, agência de PR, cursos em Paris e estágio em Nova York. Mas não teve jeito: pertencia mesmo ao universo fashion.

“Com o passar do tempo, eu já era conhecida por ter acessórios muito diferentes. Quando morei fora, ficava pensando no quão difícil era achar peças iguais no Brasil. E assim foi surgindo a ideia de ter a marca própria”.

Aficionada por peças vintage, a designer busca nos anos 1960, 1970 e 1980 referências para suas criações – grandes, divertidas e ousadas! Filmes, documentários, história da arte e feiras de antiguidade também são um must-see antes de desenhar qualquer coleção.
Mas são mulheres fortes, corajosas, autênticas e excêntricas sua grande inspiração. “Como sempre fui rodeada por essa força feminina, minha avó foi muito responsável pela criação do meu estilo”. Além dela, a história de Diana Vreeland, Iris Apfel, Peggy Guggenheim e Costanza Pascolato também influenciaram bastante as bijoux da Abi-Project. “Mulheres guerreiras, que espelham no seu estilo a sua história de vida”.

Afinal, como dizia Diana Vreeland, “There's only one really good life, and that's the life you know, you want and you make it yourself'”.
O poder da bijoux no visual: Tudo. Ela pode mudar completamente o visual. Dar autenticidade, poder, estilo. O acessório e a atitude são os grandes responsáveis pelo estilo único! Ele pode mudar um pretinho básico para algo nada básico.

Mapa da mina: Brechós. Sou viciada em vintage! Amei os da Califórnia para acessórios e amo os de NYC para roupas. Ressurection é um dos meus preferidos.

Truque de styling infalível: Depende do mood do dia. Amo cores, e quando acho que está muito, coloco mais alguma coisa.

Fashion icons: Ícones do Advanced Style. Amo mulheres mais velhas, acho que a confiança que elas têm transpira poder.

Paixão secreta: Política

Na cabeceira: Trilogia do Século, A Sombra do Vento e a Maior de Todas as Mágicas.

Não consegue parar de ouvir: River, do Leon Bridges.

Uma verdadeira musa... Empodera outras mulheres! Tem visão, liderança, estilo... Originalidade.

CLICK & SHOP